Coronavírus: hora de admitir que a civilização falhou

Dedos talvez contaminados digitam enquanto o som das teclas tateiam o ar, que não é mais respirado do mesmo jeito. Rostos aparentemente sem expressões são encobertos por máscaras cirúrgicas, que ocultam semblantes aterrorizados. Ouvidos acostumados com a trilha sonora urbana são incomodados pelo silêncio ensurdecedor das ruas, que são evitadas por aqueles que temem perder…